Espetáculo “Origens” tem mais duas apresentações na Festa da Colônia


Carla Reis
Uma das atrações da Festa da Colônia de Gramado, o espetáculo “Origens”, que conta de forma humorada, a história dos primeiros colonizadores de Gramado, mostrando as dificuldades e a união de forças das etnias que venceram obstáculos conquistando e construindo uma nova geração terá mais duas apresentações nesta semana de encerramento da Festa da Colônia. Uma delas será nesta sexta-feira, dia 16, e outra no sábado, dia 17, sempre às 20h30min.
Com uma linguagem leve e divertida o espetáculo de 50 minutos lembra através do teatro, dança e música as sensações, as incertezas, mas principalmente a superação, a força e a união de portugueses, alemães e italianos que juntos escreveram a história e construíram a bela Gramado.
O “Origens” é dirigido por Carla Reis. Ela é atriz desde 1995 e já participou de vários Festivais Estaduais em alguns conquistando premiação de melhor atriz.

Carla: Como é produzir e dirigir o Origens?
Dirigir o espetáculo Origens pra mim é uma satisfação imensa e fico muita lisonjeada com a confiança. O Origens foi meu primeiro trabalho à frente de uma direção, sabia que a responsabilidade era muito grande, então o primeiro passo foi conhecer a história de Gramado, tive a preocupação de conhecer a história de cada etnia. Eu e a equipe de produção fizemos trabalho de campo, pesquisamos, fomos até o interior de Gramado conversar com algumas famílias, conhecer suas histórias, seus costumes, fotografamos muitas casas, lugares, até porque queria que o cenário parecesse real, sempre fomos recebidos com muito carinho e alegria, ainda mais quando falávamos que se tratava de uma pesquisa para a construção do espetáculo Origens, da Festa da Colônia. Enquanto conversava com as famílias já visualizava os personagens e os atores que se identificavam com cada um. Dirigir o espetáculo é muito gostoso e gratificante, ainda mais que sou privilegiada por ter um elenco que é apaixonado pelos seus personagens e pelo espetáculo. Já cheguei a comentar que quando estamos ensaiando visualizava uma comunidade inteira, não uma peça de teatro. Também tivemos uma agradável tarde com a historiadora Marília Daros que nos recebeu em sua casa, com direito a pipoca e chimarrão e uma divertida tarde de chás com o historiador Gilnei Casagrande. Tenho um paixão enorme pelo Origens. O objetivo é divertir nossa comunidade e visitantes resgatando um pouquinho da história. O que me deixa muito feliz é saber que nestes três anos atingimos o nosso objetivo, pois recebi abraços e e-mails de pessoas parabenizando o espetáculo dizendo que nós estávamos fazendo com que muitos se lembrassem do que passaram e se emocionaram. Recebi um abraço apertado de uma senhora que não conheço dizendo que havia se emocionado muito e que nas próximas apresentações iria trazer sua família para assistir, pra mim, isso, é muito gratificante.
Carla: Qual foi a maior dificuldade na produção do espetáculo?
Não diria dificuldade mas, responsabilidade, meu medo sempre é em escrever o roteiro, pois estou falando da história de uma cidade, não posso deixar o texto didático, mas preciso passar as informações de uma forma agradável ao público, quero mostrar a fé, a esperança, a força e o lado divertido das etnias não podendo exagerar.
Carla: O que mais lhe encanta no Origens?
É a cumplicidade, a paixão, a energia do elenco e da equipe de produção com o espetáculo. É o arrepio que sinto atrás da mesa de som e luz, ao escutar a música feita exclusivamente para o Origens cantada pelos atores na primeira cena, sentir a emoção na cena da Ave Maria, sentir a alegria dos bailarinos dançando a colheita, me divertir com a platéia com as pequenas piadas, ter orgulho da minha equipe de trabalho e me sentir realizada com a resposta manifestada pelo público. É a força dos povos que tomou conta do espetáculo.
Carla Reis destaca ainda que o elenco e equipe de produção é toda da Região de Gramado e Canela, alguns bailarinos fazem parte do Programa de Artes Pedro Henrique Benetti. Segundo Carla, o elenco é o mesmo desde 2012, “até porque todos já pegaram carinho pelo espetáculo”, disse. Segundo a Diretora, os atores não fazem somente teatro, “temos dentista, professores de educação física, matemática, mecânico, pedreiro, guia de turismo, massoterapeuta, mas todos são apaixonados pela arte”, conclui.

.

.