Pátria Gaúcha terá “Espaço Cultural”

O espetáculo é a nova atração em Gramado




O Espetáculo Pátria Gaúcha, que será lançado no próximo dia 2 de abril, no Parque Tomasini, em Gramado, além de turístico, figura-se como um evento cultural. Pensando nisto, os idealizadores, Ana Caroline Volk e Felipe Araújo, preparam um “Espaço Cultural”, que apresentará trechos da história do Rio Grande do Sul. Em especial, os artistas de Gramado contarão com mais um local para expor seu talento.

“Queremos agregar valor aqueles que fazem a cultura movimentar em nosso Estado e em nossa cidade. Desta forma estamos trazendo a arte para o Pátria Gaúcha, interagindo com a comunidade e divulgando o talento de nossos artistas e de todos aqueles que reverenciam a cultura”, destacam os idealizadores.

O tema sempre será voltado à cultura gaúcha e suas peculiaridades. Para o lançamento já está sendo preparada a exposição “Birivas”, que retratará a figura do gaúcho tropeiro autêntico e livre. 

A exposição é da historiadora Marília Daros, que realiza pesquisa e montagem. A participação faz parte das comemorações do Centenário de nascimento de Hugo Daros, historiador local e pai de Marília. Serão mais de 20 fotografias, de sua autoria, da 4°, 5° e 6° Cavalgada da Serra (1997, 1998 e 1999), que percorre a Serra Gaúcha de São Francisco de Paula até Nova Petrópolis. 

As legendas das imagens estão sendo retiradas do livro “Assuntos do Rio Grande do Sul” (1912), do tradicionalista e escritor João Cezimbra Jacques (Santa Maria 1848 – Rio de Janeiro 1922), fundador do Grêmio Gaúcho de Porto Alegre, em 22 de maio de 1898, sendo por isso considerado precursor do Movimento Tradicionalista Gaúcho. 

Os textos de Cezimbra Jacques, mesmo sendo publicados em 1912, são totalmente atuais, como por exemplo: "Os atributos de um povo que constituem o seu característico, estão estritamente ligados; e esquecê-los, mesmo em parte, importa em abrir porta larga para o abandono de todos eles e em promover sua decadência."

"Cuidar de nossa terra e de suas raízes culturais é garantir o futuro de nossas tradições tão bem formadas pelos gaúchos do passado. Precisamos ler e viver mais nossa terra e seu tradicionalismo", finaliza Marília.

.

.