Parque Gaúcho abre exposição de Aperos Crioulos

Mostra marca o lançamento do 1° Curso de Guasqueiro e as comemorações do segundo aniversário do atrativo

Aperos Crioulos é o destaque no Parque do Gaúcho
O Parque Gaúcho de Gramado comemora dois anos de atividades nesta sexta-feira, 15, com a abertura da Exposição Aperos Crioulos. Com organização e acervo de Rodrigo Schlee e Fernanda de Souza, a mostra marca o lançamento do 1° Curso de Guasqueiro, que ocorre dias 29 e 30 de novembro, no próprio parque. O curso e a exposição fazem parte da programação especial de aniversário e vêm ao encontro da proposta central do Parque Gaúcho: resgatar os usos e costumes do gaúcho originário.

O responsável técnico do Parque Gaúcho, Rodrigo Schlee, explica que aperos são os arreios, encilhas e o conjunto de peças usadas pelo gaúcho em sua montaria. 

Conforme Schlee, o apero crioulo é fruto do trabalho manual de guasqueiros, ferreiros, prateiros, tecelãos, correeiros e outros artífices tradicionais do pampa. “O apero crioulo nasceu com o próprio gaúcho, que adaptou os arreios trazidos pelos europeus e agregou arte e funcionalidade na equitação”, observa.

CURSO
Segundo ele, o Curso de Guasqueiro vai abordar a tradicional arte de manipular o couro cru: matéria-prima que foi uma das mais significativas para o povo do pampa.  “O couro era tudo para o gaúcho no século XVIII. Vamos resgatar o seu uso. Para fazer os aperos para o cavalo, o gaúcho usava basicamente o couro”, afirma.

Informações e inscrições sobre o curso pelo email responsaveltecnico@parquegaucho.com.br ou pelo telefone 54.9154.8947.

ORIGEM DOS APEROS CRIOULOS
Com a influência da equitação introduzida pelo colonizador europeu, adaptada à necessidade do gaúcho originário que vivia sob o lombo do cavalo caçando gado cimarrón (selvagem), surge o “apero crioulo” uma ferramenta funcional para o trabalho, guerra e lazer.

Crédito Divulgação Parque Gaúcho/Fernanda de Souza

.

.