Região das Hortênsias apoia novo modelo de pedagiamento

Dez representantes da comunidade relataram seus anseios em relação à EGR durante encontro com o governador Tarso Genro

Com a lotação de aproximadamente 250 pessoas esgotada, o Auditório Van Gogh do Centro de Eventos da Faurgs, em Gramado, sediou na tarde desta segunda-feira (6) o quinto encontro da série “Diálogos CDES-RS – Novo Modelo de Pedágios”. Promovido pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES-RS), o Conselhão, contou com a presença do governador Tarso Genro. Dez representantes de cidades pertencentes ao polo da Região das Hortênsias foram ouvidos por representantes do governo, políticos e da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). Tarso garantiu que os pedágios serão públicos e mais baratos.

O encontro foi aberto pelo secretário-executivo do CDES-RS, Marcelo Danéris, que orientou a comunidade para a realização de uma reunião de trabalho objetiva. Em seus pronunciamentos, todos foram unânimes em solicitar o fim imediato das atuais concessões e apoio ao novo modelo público com participação pública.

Representante do segmento do turismo no Conselhão, a empresária gramadense Marta Rossi foi uma das vozes da comunidade durante a atividade. “Peço que a EGR olhe com atenção e carinho para as demandas da sociedade em relação aos pedágios. Somos não apenas um case no turismo, mas modelo de desenvolvimento neste segmento. Trata-se de uma indústria eficaz, de resultados e, acima de tudo, de inclusão social”, disse. 

O prefeito Nestor Tissot se manifestou com propostas pontuais em benefício de Gramado com o novo modelo de pedagiamento, como a duplicação da RS-115 (entre Taquara e Gramado), a manutenção da qualidade das vias, a cobrança em apenas um sentido das rodovias, a desativação do pedágio da RS-235 em São Francisco de Paula, a construção de acostamento na RS-235 pelo menos até a Linha Araripe e o asfaltamento de Santa Maria do Herval a Gramado. 

Tarso Genro afirmou que o Rio Grande do Sul está servindo de exemplo para o restante do Brasil ao colocar uma empresa pública para gerir, manter e ampliar a malha rodoviária estadual. “A destinação dos recursos estará na mão dos usuários. O corporativismo não existirá”, garantiu o governador. Entre os anúncios referentes ao novo modelo estão previstas a extinção da praça de pedágio entre Caxias do Sul e Farroupilha; a criação de mecanismos permanentes de fiscalização pública e controle social que garantem transparência do processo; a diminuição das tarifas onde as praças permanecem e a arrecadação de todos os recursos arrecadados para as estradas.

Tarso reafirmou que, após o encerramento dos contratos com a Brita Rodovias, previstos para 25 de maio, as três praças da região serão administradas pela EGR e terão os valores reduzidos em pelo menos 25%. O governador reafirmou que a EGR integra uma das ações essenciais do seu Governo que é a recuperação das funções públicas do Estado. Ele ressaltou que a empresa será conhecida e fiscalizada inteiramente pela comunidade. “Por meio de mecanismos, como os conselhos comunitários, a população irá avaliar não apenas a destinação dos recursos, mas os elementos técnicos para estipular o preço do pedágio e o que deseja que se realize naquela região.”

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Caleb de Oliveira, ressaltou o estudo realizado em 2012 para verificação das estradas pedagiadas. Com isso, um dos benefícios será a redução do valor do pedágio – de R$ 7,90 para R$ 5,90. “E também não temos a intenção de criar novas praças”, disse.

Fique por dentro
Desde 1998, a Brita Rodovias detém sob sua responsabilidade o total de 142,37 quilômetros, distribuídos em sete trechos, compreendendo os municípios de Taquara, Igrejinha, Três Coroas, Gramado, Nova Petrópolis, Canela, São Francisco de Paula. Estão situadas nas RSs 115 (Três Coroas) e 235 (trecho de Gramado e São Francisco de Paula). A EGR é a estatal criada para administrar as estradas com pedágios pertencentes ao Estado do Rio Grande do Sul. “Esses debates com as comunidades são essenciais para apresentarmos o novo modelo de pedagiamento no Estado e ainda iniciarmos a discussão em torno de um plano de investimentos da EGR nas rodovias”, afirmou o presidente da ERG, Luiz Carlos Bertotto.

Até o presente momento, a EGR administra as três praças de pedágio comunitárias: Portão, Coxilha e Campo Bom. A empresa assumirá as 11 praças de pedágio que se encontram concedidas à iniciativa privada, passando a administrar 820 quilômetros de rodovias. Nestes trechos, as tarifas deverão ser 25% menores para veículos e de 30% a 42% para caminhões.

Abaixo-assinado
A coleta de assinaturas pelo fim imediato das concessões de pedágio continua sendo feita na internet com acesso pelo site www.cdes.rs.gov.br ou diretamente no http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2013N37246

.

.