Dieta reforçada no Gramadozoo


Pinhão garante reforço calórico na alimentação de aves e primatas

Com a proximidade do inverno, aumentam os cuidados com a saúde dos animais do Gramadozoo. Para suportar as baixas temperaturas, a equipe técnica toma medidas para garantir o bem-estar da bicharada. Além de sistemas de aquecimento e cobertores, os animais recebem um reforço calórico na alimentação. Nutritivo e abundante da região serrana do Rio Grande do Sul, o pinhão passou a integrar a dieta de primatas, ouriços, papagaios, maitacas, gralhas e até das araras. Com dez calorias por unidade, o fruto ajuda a combater o frio.

Em vida livre, o pinhão faz parte da alimentação de aves como a gralha-azul e o papagaio-charão. Segundo o veterinário Renan Stadler, responsável técnico pelo Gramadozoo, as espécies são dispersoras das florestas de araucária. “Inserindo o pinhão na dieta, estamos recriando o habitat e proporcionando enriquecimento ambiental”, explica Stadler.

Já espécies como a arara-azul e o mico-de-cheiro, não comeriam o fruto em seu habitat natural. No entanto, o alto valor calórico do alimento ajuda os animais a suportarem o inverno rigoroso da região. “Apesar de não existir pinhão no norte do país, aqui no zoo as araras comem o fruto assim como outros psitacídeos. Com a dieta reforçada, nosso índice de internação hospitalar é zero”, diz.

.

.