Município busca solução para o comércio indígena na cidade

Indígenas não compareceram a reunião

Na quarta-feira, uma reunião, tendo como pauta o comércio indígena na cidade, foi realizada entre representantes da Prefeitura, do Legislativo e outras entidades municipais e do Estado, além de um representante da FUNAI. A iniciativa partiu da Secretaria de Cultura de Gramado.

Os indígenas, que são protegidos por lei federal, comercializam os seus produtos em diversos eventos realizados no município. O Vice-Prefeito Luia Barbacovi foi categórico ao afirmar que, “Gramado não tem nada contra os índios e tem a intenção de seguir recebendo-os, porém, a forma como eles realizam o seu comércio é que precisa ser revista”.

Na reunião que contou com a presença de representantes da FUNAI, dentre outros órgãos relacionados à atividade indígena, Gramado ofereceu aos índios uma nova localidade junto ao Lago Negro, para realização de sua atividade comercial. O local terá os padrões de Gramado e substituirá a localidade onde hoje os indígenas comerciam seus produtos, que polui visualmente o acesso ao Lago Negro, que é um dos principais cartões postais do município.

Como não houve a presença de representantes indígenas na reunião, não chegou-se a um acordo, visto que era necessária a concordância dos representantes da etnia, para selar qualquer parceria.

“Infelizmente não recebemos nenhum indígena e da mesma forma nos chamou atenção a ausências de autoridades policiais do município. Sendo assim, a definição do que será feito com a atividade comercial indígena no município deve acontecer em um próximo encontro, marcado para o dia 04 de março”, destaca o Secretário de Cultura de Gramado Nelson Broering.

Foto: Divulgação

.

.