Prefeito de Canela decreta moratória de 180 dias

Cléo Port apresentou um passivo de 16 milhões de reais
 
Passados 15 dias, desde que assumiu a Prefeitura de Canela, o prefeito Cléo Port (PP) convocou a imprensa, nesta quarta-feira, para anunciar que o município decretou uma moratória no pagamento das contas do exercício 2012, deixadas pelas administração do ex-prefeito Constantino Orsolin (PMDB).
 
Entre outros motivos, Port considerou uma auditoria, realizada logo no início da sua gestão, nas contas e contratos do governo municipal que indicaram um saldo negativo dos recursos livres do município de R$ 1.154.750,27. Além disso, segundo a equipe que realizou o levantamento, há a possibilidade de Canela ter que devolver verbas federais que ultrapassam R$ 12 milhões. Para garantir a governabilidade neste início de gestão, Cléo decretou moratória pelo período de 180 dias, onde durante este período ficarão suspensos pagamentos de dívidas e atos contraídos na administração do seu antecessor, Constantino Orsolin (PMDB).
 
Conforme relatório apresentado por Cléo Port, entre a possibilidade de estorno de valores oriundos do governo federal, o não pagamento da rescisão de 112 CCs da gestão anterior e outras irregularidades, o montante de contas que Cléo corre o risco de ter que pagar sem ter dinheiro em caixa é de R$ 16.341.334,84.
 
A expectativa do Procurador-Geral do município, o advogado Gustavo Bauermann, é que dentro deste prazo de 180 dias, a Prefeitura de Canela possa voltar a honrar os seus compromissos. 

.

.